Menu
Atualizado em 16/03/2019 às 04h40

Restrição às armas, cuidado com a saúde mental e prevenção: especialista avalia medidas dos EUA contra ataques em escolas

Desde 1990, de acordo com o Serviço de Pesquisa do Congresso, foram registrados 87 tiroteios em massa nos EUA (dados de 2017). Moradores de Littleton, nos EUA, se reúnem em memorial para as vítimas do massacre de Columbine, em 24 de abril de 1999

Mark Leffingwell/AFP

O ataque a uma escola de Suzano, na Grande São Paulo, deixou 10 mortos nesta quarta-feira (13). É o primeiro do tipo no Brasil neste ano. Nos Estados Unidos, as autoridades lidam com o problema há mais tempo – e com maior frequência. O massacre de Columbine, com 15 mortes de estudantes em Colorado, completa 20 anos em abril.

Mas, então, como o Brasil pode aprender com os americanos?

A agência federal de investigações dos Estados Unidos (Federal Bureau of Investigation, FBI) avalia o tema "assassinatos em massa" de forma especial dentro da justiça criminal. O tema envolve o interesse da mídia, de especialistas em saúde mental e do público em geral.

Continuar lendo...
Autor/Fonte: Globo.com

Brasil

Notícias Relacionadas

ÚLTIMAS NOTÍCIAS